Transtornos alimentares podem ser mais letais do que se imagina. A cada 62 minutos, alguém morre como resultado direto de um distúrbio alimentar. Parada cardíaca ou respiratória é uma das causas mais comuns de morte em indivíduos com bulimia e anorexia, por exemplo.

Como o transtorno de compulsão alimentar periódica foi adicionada recentemente no manual de diagnóstico e estatística, ainda há poucos dados sobre taxas de mortalidade. No entanto, é tão grave quanto outros transtornos alimentares.

Transtornos Alimentares e Suicídio

Outra causa prevalente de morte para pessoas com transtornos alimentares é o SUICÍDIO. A seguir estão alguns fatores, que ajudam a explicar isso:

  • A alta comorbidade (isto é, a associação de um distúrbio com outro) entre transtornos alimentares e transtornos de humor e;
  • A desnutrição afeta o cérebro e o humor;

Como lidar com pensamentos suicidas

Em primeiro lugar, se você está lutando contra um transtorno alimentar e contra pensamentos suicidas, gostaria de me solidarizar com você. Sei como isso pode ser incrivelmente doloroso e cansativo, sendo quase que impossível expressar apenas com palavras.

O fato de você estar lendo este artigo mostra que existe uma parte sua (mesmo que ainda muito pequena) que não quer morrer, e aqui estão alguns passos importantes a serem dados:

Peça ajuda!

A pior coisa que você pode fazer é continuar segurando esses pensamentos e não contar a ninguém.

Se você acha que pode se comprometer a manter-se em segurança por enquanto, mas ainda está tendo pensamentos suicidas, entre em CONTATO comigo agora mesmo. Se isto não for possível, então procure outro profissional de saúde especializado em transtornos alimentares ou DEPRESSÃO em sua região.

Buscar ajuda enquanto está lutando é um sinal de verdadeira força, não de fraqueza.

Sinta seus sentimentos e converse com seus pensamentos

Quando se está lutando contra um transtorno alimentar e/ou depressão, sua mente pode se tornar confusa. É como se você estivesse usando óculos de sol, que distorcem a percepção do mundo ao seu redor.

Através da PSICOTERAPIA, podemos trabalhar lentamente para tirar os óculos de sol, e facilitar a transformação da visão para ver as coisas de forma mais saudável.

É muito importante praticar a conversa com seus pensamentos inúteis. Frequentemente, eu incentivo meus pacientes para o diálogo entre o “eu da desordem alimentar” e o “eu saudável” (sempre tentando encerrar no eu saudável). Um exemplo de diálogo seria:



Transtorno Alimentar: Parece injusto que eu tenha que continuar vivendo assim. Eu só não sei se posso continuar vivendo assim. É tão exaustivo.

Eu saudável: Você já se sentiu assim antes e as coisas melhoraram. Esses sentimentos são apenas temporários, mas morrer é uma solução permanente. O suicídio não é uma solução (ele transfere sua dor para as pessoas com quem você mais se importa).

Transtorno Alimentar: Mas e se as coisas não melhorarem? Estou com medo de ficar preso nesse ciclo para sempre. Eu prefiro morrer do que viver com isso pelo resto da minha vida. As coisas já estão caindo aos pedaços. Ganhei muito peso e não acho que posso tolerar ganhar mais.

Eu saudável: Suicidar-se ou render-se ao seu transtorno alimentar só irá criar mais dor e sofrimento, seja para as pessoas que você ama ou para si mesmo. Nenhuma dessas coisas são a resposta, e você não deveria ter que lutar com tudo isso sem apoio. Eu garanto que se você procurar apoio, fazer algo relaxante e depois descansar um pouco, então as coisas vão parecer um pouco melhores amanhã. A única razão pela qual você não se recuperaria, é se você parasse de tentar. Você já chegou tão longe. Não desista da sua recuperação (ou de você mesmo) agora.

Seja gentil com você mesmo

Ter pensamentos suicidas só fará você se sentir ainda pior. Não é sua culpa que esteja lutando contra esse distúrbio. Ninguém escolheria ter um transtorno alimentar ou pensamentos suicidas, porque as duas coisas são muito dolorosas e exaustivas.

Eu já vi pessoas se sentindo totalmente presas ao seu transtorno alimentar e pensamentos suicidas, mas que agora estão em forte recuperação ou já se recuperaram (e se sentem muito mais esperançosas).

Mesmo para aqueles cuja depressão persiste após a recuperação de um distúrbio alimentar, ainda há coisas que você pode fazer para aprender como lidar melhor, e mudar seu relacionamento com o pensamento depressivo.

A recuperação é possível

Não importa o que seu transtorno alimentar esteja lhe dizendo, a recuperação é completamente possível.

Se você está lutando contra pensamentos suicidas, procure ajuda e suporte. Saiba um pouco mais como funciona meus serviços de CONSULTA PSICOLÓGICA (há também a modalidade de ATENDIMENTO PSICOLÓGICO DOMICILIAR), e entre em CONTATO.

Você não está sozinho nisso, e a ajuda está disponível. Aguardo o seu contato !

Deixe sua avaliação
Compartilhe este artigo !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *