Se vocês estão considerando iniciar uma TERAPIA DE CASAL, mas ainda não tem certeza se valerá a pena, então saiba que não estão sozinhos. Quero, neste artigo, fornecer respostas para algumas das principais perguntas que eu ouço a respeito da terapia de casal.

Por que tanto ceticismo ?

É compreensível que muitas pessoas sejam céticas quanto à eficácia da terapia de casal. Antes dos anos 80, os métodos mais comuns usados ​​no trabalho com casais tinham sucesso limitado, com taxa de aproximadamente 50%.

Com o passar do tempo novos estudos foram realizados e habilidades foram aprendidas. Atribuições (explicações que nos damos para o comportamento da outra pessoa) foram transformadas de negativas (por exemplo, “Você está sempre atrasado porque não se importa o suficiente para chegar na hora”) para positivo ou neutro (“Eu entendo que você tem dificuldades em planejar o seu tempo. ”).

Algumas pesquisas ajudaram a encontrar comportamentos críticos que devem ser evitados se um casal quiser permanecer junto. Estes incluíam cortar o sarcasmo e os comentários desdenhosos, enquanto construíam a amizade e o romance.

Tudo isso foi bom, mas não o suficiente para mudanças duradouras e profundas nos relacionamentos. Mesmo quando os casais relataram menos sofrimento no término da terapia de casal, os novos hábitos desapareciam nos meses subsequentes, e os problemas antigos voltavam.

Terapia de casal é eficaz ?

A boa notícia é que atualmente a terapia de casal tem até 75% de eficácia. O principal resultado positivo é a redução de reclamações entre os parceiros, permanecendo por pelo menos dois anos após a conclusão do tratamento.

Quem está no grupo dos 25% ?

Casais que estão em relacionamentos abusivos (seja abuso físico ou emocional) não devem esperar melhora na terapia de casal até que o comportamento abusivo seja interrompido. Nestes casos é mais recomendado primeiro fazer uma CONSULTA PSICOLÓGICA, ou até mesmo a PSICOTERAPIA individual para cada parceiro, a fim de trabalhar o autocontrole ou para manter a segurança de ambos.



Terapia de casal também não é recomendada para casais em processo de separação.

Como funciona ?

Resumidamente, a terapia de casal busca mudar os padrões restritos de interação entre parceiros com dificuldades e, assim, mudar as respostas emocionais entre si de forma que a mudança destas respostas fortaleça o vínculo.

Na minha experiência, a terapia de casal requer um compromisso mínimo de seis meses. Muitos casais precisam de mais tempo, dependendo de outras circunstâncias em suas vidas e da frequência das sessões.

Como maximizar as chances de um resultado positivo ?

Os resultados positivos são mais prováveis ​​quando:

  • O casal que inicia a terapia tem vontade de aprender algumas habilidades básicas e tornar-se mais autoconsciente. Apenas habilidades básicas de comunicação são necessárias, como o uso de palavras “sensíveis”. Muitas pessoas têm dificuldade em distinguir sentimentos de pensamentos, geralmente porque nunca foram ensinadas a identificar sentimentos como crianças. No entanto, essa habilidade pode ser aprendida e incentivada durante a terapia de casal.
  • A capacidade de parar de ver um ao outro como oponente, e sim como membro de uma equipe. Vendo-se como “no mesmo time”, aumenta a cooperação e também a disposição de cada pessoa para o relacionamento.
  • A capacidade de sentir empatia pelo parceiro é uma parte crítica do trabalho. Cada pessoa precisa ter compaixão pelos sentimentos de vulnerabilidade e pelos traumas emocionais do outro.
  • Por fim, a disposição de cada pessoa em assumir sua parte nos problemas, bem como o processo de promover uma mudança positiva. Muitas pessoas chegam à terapia de casal com uma lista de queixas sobre a outra pessoa e um desejo que o psicólogo valide as queixas e mude o comportamento da outra pessoa. Embora muitas vezes haja queixas válidas, nada é resolvido a menos que ambos estejam abertos a mudar algum aspecto de seu próprio comportamento.

Espero que isso tenha sido útil para responder a algumas de suas perguntas sobre a terapia de casal. Por favor, sinta-se à vontade para contribuir com quaisquer outras questões gerais nos comentários a seguir.

Deixe sua avaliação
Compartilhe este artigo !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *