O tema da infidelidade está em toda parte. Ouvimos frequentemente sobre isso na mídia, e vemos casamentos de amigos ou parentes serem devastados pelo assunto.

Não é surpresa que muitos casais se perguntem: “Como eu lidaria com isso?”. É particularmente comum também se perguntar se o seu próprio casamento poderia sobreviver a uma traição tão séria.

Tenha em mente que a infidelidade não é uma aberração terrível que só ocorre em casamentos infelizes. É um mito pensar que a verdadeira razão por trás de um caso é um casamento ruim, mas que a infidelidade também acontece em excelentes casamentos.

É possível sobreviver à infidelidade, porém…

  • Não é fácil;
  • Isso dói;
  • Provavelmente haverá raiva, lágrimas e DEPRESSÃO;
  • Levará tempo para curar;
  • Vai levar um tempo para confiar novamente;
  • Será preciso coragem;
  • Exigirá um compromisso sério de ambos para salvar seu casamento;
  • É provável que você precise de ajuda profissional para processar o que aconteceu;
  • Muitos profissionais viram os casamentos não apenas sobreviverem à infidelidade, mas se tornarem melhores.

É verdade que um casamento pode sobreviver a um caso extraconjugal. Isso realmente só acontecerá se ambos os parceiros estiverem dispostos a adquirir e usar as habilidades necessárias para tornar o casamento bem-sucedido.

Desenvolver uma nova maneira de interagir requer…

  • Ter conversas profundas e significativas;
  • Expressar emoções ​​subjacentes;
  • Trabalhar a culpa e a negação;
  • Explorar seus padrões subjacentes ou “ciclos viciosos” de comunicação;
  • Estar disposto a perdoar mágoas;
  • Honestidade;
  • Olhar para bagagem emocional que pode ter levado até este lugar.

Alguns sentimentos na infidelidade no casamento incluem…

  • Vergonha;
  • Culpa;
  • Raiva;
  • Desapontamento;
  • Embaraço;
  • CIÚMES;
  • Luxúria;
  • Ressentimento;
  • Negação;
  • Desconfiança;

Alguns casamentos não devem ser salvos

Seu casamento pode sobreviver a essa enxurrada de sentimentos. No entanto, alguns casamentos não devem ser salvos.

Se a infidelidade é um dos muitos sintomas de violência doméstica e/ou abuso emocional em seu relacionamento, você nunca se sentirá seguro o suficiente para resolver seus problemas. Estes são problemas muito arraigados que muitas vezes não vão mudar.



É um desafio para o parceiro traído saber se ele ou ela pode dar ao cônjuge uma “segunda chance”. Se o caso foi um evento único, isso também é bem diferente de alguém com uma tendência à infidelidade.

Se o seu cônjuge for um infiel compulsivo, talvez seja hora de jogar a toalha.

Se precisar de ajuda, considere buscar ajuda profissional. Um Psicólogo que trabalha com TERAPIA DE CASAL pode ser muito útil.

Até logo !

Compartilhe este artigo !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *