A insegurança é um sentimento profundo, forjado por sentimentos de inadequação ou indignidade. Passamos por diferentes traumas e experiências na vida, e grande parte dessas experiências moldam nossa capacidade de auto-confiança.

Às vezes é comum, em nós seres humanos, termos dúvidas sobre nós mesmos. Quando nos deparamos com certas situações nos sentimos inseguros, mas também elaboramos mecanismos emocionais para lidar e superar essas inseguranças. Mesmo as pessoas aparentemente mais confiantes podem lidar com certas inseguranças.

Por outro lado existem pessoas que sofrem de insegurança crônica. Ela inibe a capacidade não apenas de formar relacionamentos saudáveis, mas também estabelece um limite para o nível de sucesso que é possível atingir. As pessoas inseguranças colocam limitações em si mesmas porque se sentem indignas.

No contexto do relacionamento, a insegurança prejudica a capacidade de estabelecer um relacionamento seguro e íntimo. Isso impedirá que as pessoas se envolvam com seu parceiro de maneira autêntica e orgânica.

Alguém com insegurança crônica está constantemente procurando por garantia ou validação de seu valor próprio. Tomam ações que afastam seus parceiros, bisbilhotando os negócios, espionando, acusando o parceiro e assim por diante. Nos relacionamentos, a insegurança freqüentemente anda de mãos dadas com CIÚMES extremos.

Se alguém é excessivamente inseguro em um relacionamento, então é apenas uma questão de tempo até que um ou ambos sintam-se cansados e decidam terminar. A insegurança em um relacionamento é mais do que apenas ciúme, é uma questão de estabilidade e força. O ciúme está definitivamente envolvido, mas a insegurança é muito mais.

Pensamentos muito frequentes sobre o parceiro incluem:

  • Onde ele está e com quem está ?
  • Por que ele não olha para mim como olha para os outros ?
  • Eu não sou bom o suficiente, ele vãi perceber isso em breve e me deixar.
  • Os outros podem fazer muito melhor que eu.

Basicamente, qualquer pensamento que questione um relacionamento é sinal de insegurança. Se você está se sentindo inseguro, existem alguns sinais comportamentais reveladores, e estes podem ser muito prejudiciais para a longevidade de seu relacionamento. Isso inclui:

  • Ser excessivamente grudento;
  • Exigir elogios;
  • Mudar seus gostos e interesses para corresponder aos deles (por exemplo, fingir que você ama críquete porque seu parceiro o faz);
  • Ficar chateado com os comentários ou ações menores.

Então, como você pode se livrar dessa insegurança e começar a gostar do parceiro como costumava fazer ?

A seguir estão algumas dicas que podem ajudar:

Seja emocionalmente independente

O maior problema com pessoas excessivamente inseguras é que elas criam sua identidade e autovalorização em torno do amor e do compromisso de seus parceiros com elas. Se você quiser vencer sua insegurança, precisará criar uma identidade segura e independente, separada do parceiro.

Você deve entrar em um relacionamento, amar e se comprometer sem perder a si mesmo e sua identidade. Traga aspectos únicos e separados de sua identidade para o relacionamento.

Evite buscar segurança em seu parceiro

Uma maneira de ser tragado por suas inseguranças é buscar a validação de seu parceiro sempre que estiver se sentindo inseguro.

A insegurança é uma energia negativa que vem de dentro, e você tentar lidar com ela por meio de uma fonte externa, como a validação de seu parceiro, cria apenas um ciclo perigoso. Você vai depositar no seu parceiro a estabilidade emocional e segurança que precisa.

Isso significa que você nunca estará disposto a deixá-lo ir, recorrendo a medidas mais desesperadas para manter essa validação. Isso impede que você seja autêntico e também, desnecessariamente, sobrecarrega o seu parceiro. Você deve ser capaz de lidar com seus impulsos e não parecer ser babá do seu parceiro para se sentir bem.



Evite demonstrar suas inseguranças

Pessoas inseguras têm a tendência de manifestar suas inseguranças. No entanto, essas ações muitas vezes levam a um comportamento destrutivo e inaceitável que arruinará o relacionamento.

Atos comuns de uma pessoa insegura incluem inveja e possessividade. Enquanto estes podem agir como um roupagem para sua própria insegurança, acabarão prejudicando seu parceiro e fazendo com que se sintam infelizes e desconfortáveis.

Outros atos de ciúme e possessividade que uma pessoa insegura gosta de fazer: Bisbilhotar os e-mails e mensagens privadas;
Aparecendo no local de trabalho apenas para mostrar que “possuem” o parceiro;
Cortando o parceiro dos amigos e os círculos sociais;
Tentando controlar como os parceiros para que não se vistem de maneira “provocativamente” e assim por diante.

Felizmente, suas ações ciumentas e possessivas são evitáveis.

Você pode optar por exercer o autocontrole e chegar ao seu parceiro de outras maneiras. Pense nas consequências de suas ações antes de representá-las e, mais importante, abra canais de comunicação. Se você quiser agir de acordo com suas inseguranças, faça-a respeitosamente. A melhor maneira é conversar ou procurar uma TERAPIA DE CASAL.

A paixão diminui com o passar de tempo

Isso é completamente normal e nunca deve se tornar uma fonte ou motivo de insegurança. Você pode se lembrar de quando seu parceiro costumava cumprimentá-lo toda vez que saía para um encontro ou de que sempre abririam portas para você (isso faz parte do período da paixão).

Um período em que os parceiros sempre prestarão mais atenção um no outro. Raramente esta paixão dura para sempre.

Você não pode esperar que seu parceiro o elogie toda vez que se vestir bem, ou beije-o toda vez que voltar do trabalho. Só porque fazem menos do que antes não significa que te amem menos, ou que estejam te traindo. Significa simplesmente que estão confortáveis ​​em torno de você e não sentem essa necessidade.

Veja essas coisas como positivas, em vez de negativas. Afinal, isso significa que seu parceiro se sente seguro e confia em você o suficiente para não precisar ser irresistivelmente amoroso. O fim da paixão não é uma coisa ruim, é simplesmente a próxima fase de um relacionamento.

Confie em si mesmo

Eu disse no início que a insegurança é motivada por sentimentos de indignação e de auto-estima. Embora confiar na outra pessoa seja a base de todo relacionamento, você precisa aprender a confiar em si mesmo.

Aprenda a amar a si mesmo e perceberá que sua existência, felicidade e sucesso na vida não depende da validação, amor ou aceitação por parte dos outros. Você é você e deve ser capaz de funcionar mesmo se não estiver recebendo o amor e o compromisso que acha que merece.

Confiar em si mesmo fará com que se sinta seguro, mesmo que as coisas não estejam dando certo. Assim você terá a força que precisa para ser direto com seu parceiro, caso tenha alguma dúvidas sobre a trajetória do relacionamento.

Mas, se precisar, fazer ums CONSULTA PSICOLÓGICA e posteriormente PSICOTERAPIA também pode ajudar nesse processo de construção da auto-confiança.

Compartilhe este artigo !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *