Os artigos estão separados por categorias. Escolha aquela que você deseja ler:

ANSIEDADE: é uma reação normal a situações estressantes, onde as preocupações e expectativas por resultados negativos em situações desconhecidas provocam alguns transtornos. Em alguns casos torna-se excessivo e causa problemas para a vida cotidiana. Sintomas da ansiedade: falta de ar ou respiração ofegante; dor ou aperto no peito e palpitações no coração; dor de barriga, podendo ter diarréia; roer as unhas, sentir tremores e falar muito rápido; dificuldades de concentração, preocupação, medo constante e sensação de que algo ruim vai acontecer.

CASAMENTO: processo pelo qual duas pessoas tornam uma relação oficial, permanente e pública. É a formação de um vínculo que supostamente dura até a morte, mas que na prática é cada vez mais encurtada pelo separação/divórcio. Claro que, durante o curso de uma relação (que pode durar até sete ou oito décadas), muitas coisas acontecem. Personalidade, corpo, idade mudam e o amor romântico pode diminuir, além de uma diversidade de conflitos. O que permite que um casal suporte um ao outro é como eles lidam com essas diferenças. Então, como você gerencia os problemas que inevitavelmente surgem ? E como é possível manter a chama do amor acesa ?

CIÚME: emoção complexa que abrange diferentes tipos de sentimentos como o medo do abandono, a raiva e a humilhação. O ciúme pode atingir homens e mulheres quando uma terceira pessoa parece ser uma ameaça para o relacionamento, ser um problema entre irmãos que competem pela atenção dos pais, ou a inveja de um amigo bem sucedido. A sabedoria popular diz que o ciúme é uma emoção necessária, pois preserva os vínculos sociais. Por outro lado é uma emoção que faz mais mal do que bem, gerando conflitos de relacionamento.

DEPRESSÃO: é uma condição que atinge cada vez mais pessoas no mundo inteiro, interferindo com a concentração, a motivação e outros aspectos do funcionamento diário. Sintomas da depressão: ansiedade, apatia, culpa, descontentamento geral, desesperança, mudanças de humor, perda de interesse ou prazer nas atividades, solidão, tristeza, tédio ou sofrimento emocional; agitação, automutilação, choro excessivo, irritabilidade ou isolamento social; despertar precoce, excesso de sonolência, insônia ou sono agitado; fadiga, fome excessiva ou inquietação; falta de concentração, lentidão durante atividades ou pensamentos suicidas; depressão ou repassando pensamentos repetidamente; ganho ou perda de peso; abuso de substâncias ou falta de apetite.

ESTRESSE: reação a um estímulo que perturba o nosso equilíbrio físico ou mental. Por outras palavras, é uma parte onipresente da vida. Um evento estressante pode desencadear a resposta de “luta ou fuga”, fazendo com que hormônios como adrenalina e cortisol sejam lançados na corrente sanguínea. Um pouco de estresse, conhecido como “estresse agudo”, pode ser útil para nos manter ativo e alerta. Mas a longo prazo, ou “estresse crônico,” pode ter efeitos prejudiciais sobre a saúde. Você pode não ser capaz de controlar os fatores de estresse em seu mundo, mas você pode alterar a sua reação a elas. Sintomas do estresse: irritação, medo, impaciência, tontura; problemas de concentração e de memória; facilidade em ficar doente, alergias, asma, insônia.

INFIDELIDADE: quebra de uma promessa por fidelidade a um parceiro(a). Essa promessa pode assumir muitas formas, desde os votos do casamento santificados pelo Estado até acordos verbais firmados em particular entre os amantes. Embora tão inpensável, a infidelidade é muito comum. E quando isso acontece, ela desperta questões espinhosas e dolorosas. Se houve uma traição será que a confiança pode ser reconstruída ? Você pode e você deve perdoar e seguir em frente ?

SEPARAÇÃO/DIVÓRCIO: alguns especialistas afirmam que a flexibilização das leis tem ajudado a tornar o casamento mais forte, enraizando-se mais profundamente na escolha pessoal. Por outro lado, será que as pessoas têm os recursos necessários para lidar com as inevitáveis dificuldades do casamento ? Se a dissolução acontece, o processo pode ser doloroso para os envolvidos. Em alguns casos pode levar anos para que um divorciado(a) recupere seu equilíbrio, e às vezes a separação emocional fica incompleta.

SOLIDÃO: embora a solidão seja experimentado por todos, ela não é algo pelo qual você viverá preso para sempre. Não há problema em ficar sozinho, e as pessoas mais saudáveis aprendem que a vida, às vezes, nos faz sentir isolados. Contudo, em vez de temer a solidão, você deve aprender a conviver com ela quando acontecer.

TERAPIA DE CASAL: um trabalho onde ambos os parceiro(s) participam, tendo como foco o modo com que interagem. Ela pode auxiliar na descoberta do que não está indo bem e de como as coisas podem melhorar. Embora não seja uma fórmula mágica, a terapia de casal ajuda a “consertar” as coisas, onde o casal terá uma oportunidade de entender melhor suas dificuldades e descobrir como superá-las.